Sempre em Movimento


As coisas são sempre mais difíceis para os desbravadores. As coisas são sempre mais cruéis para os pioneiros. Você pode percorrer as estradas que já estão prontas e asfaltadas, mas se você quer mais... Se você quer criar... as coisas são sempre mais duras, as pessoas são sempre mais duras, resistentes à surpresas. Em toda a nova estrada, há sangue, suor e mutilação; há beleza, conforto e ventilação; há criação... E, inevitavelmente, as crianças serão acolhidas e bem-vindas; os pais, não. E, inevitavelmente, as criações serão acolhidas e bem-vindas; os criadores, não. Abrir picadas na mata deixa, na pele, marcas de espinhos. Abrir seguras estradas, em caminhos sinuosos, demanda sempre um pouco de vida. Abrir seguras estradas, em caminhos perigosos, demanda sempre um pouco de vida; às vezes, toda. E o criador... O criador... ... quase nunca fica para usufruir. ... deixa sua marca na terra, no ar. ... carrega a sua cruz até... E, inevitavelmente, as crianças serão acolhidas e bem-vindas; os pais, não. E, inevitavelmente, as criações serão acolhidas e bem-vindas; os criadores, não. O criador quase nunca fica para usufruir... Deixa a sua marca na terra, no ar. E, com um pouco de sorte, parte em novo destino não traçado, não planejado... ... desconhecido. A criação sempre será acolhida e bem-vinda; o criador, não. Por isso, sempre em movimento... E não apenas por isso... No vocabulário da criação, não há verbete de vítima e autocomiseração: há voz e petulância, há mais do que isso. Sempre em movimento... ... o desejo de caminhos. Sempre em movimento... ... o desejo de novas marcas de espinhos, em outras estradas, outras atividades, outras crianças, outras criações, outras criaturas. Sempre em movimento... ... o desejar constante, em todo o inexplorado, de suor, sangue e assinatura. A solidão acompanha na exploração... A intuição guia a exploração... A emoção impulsiona a exploração... ... e a equação sempre resulta em criação, e movimento em busca... e movimento em fuga... na chuva, chuva de solidão, a solidão do pioneiro, obra-prima de sua arte: aceitação do, adaptação ao mundo tal qual se apresenta. E, depois a colheita que não fica para usufruir... ... para não se deixar, o criador, enclausurar. ... para não se tornar, o criador, refém da criação. A hierarquia está aí para dizer que as crianças, acolhidas e bem-vindas, sempre virão depois de seus pais. E, se estes permitirem, elas se tornarão suas tiranas. A hierarquia está aí para dizer que as criações, acolhidas e bem-vindas, sempre virão depois de seus criadores. E, se estes permitirem, canibais, elas os devorarão. Por isso, sempre em movimento... ... sempre de longe, ver a criação, seguro, solitário, do alto de uma montanha, sentir o orgulho das suas crianças-criações tiranas, porque a criação sempre ultrapassa o criador. Por isso, sempre em movimento... ... para ser o criador, no efêmero ínfimo transitório, infimamente maior que a criação.

*******

#criação #crianças #criatividade #criador #tirana #heirarquia #pioneirismo #vanguarda #arte #artista #poeta

7 visualizações
ATENA

ATENA

Adquira já o seu livro de poesias!

APOLO

APOLO

Adquira já o seu livro de poesias!

HADES

HADES

Adquira já o seu livro de poesias!

AFRODISIA

AFRODISIA

Adquira já o seu livro de poesias!

Patrocine a poetisa. Doe um cafezinho. Grata!

Siga-me nas redes sociais.

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram