Desejo Antigo


Desejo te enrolar em torno do meu dedo como um aro dourado e brilhante, mas não antes de me enrolar feito serpente em torno do teu corpo inteiro. Desejo te inocular o meu veneno que faça paralisar o teu desejo, a tua vontade em mim. Te dar um banho de língua Te cobrir com o meu tempero porque eu desejo te devorar inteiro lenta e dedicada, e descansar numa risada, em tua fala atropelada e em como ela me deixa extasiada (às vezes, tonta: é teu ardil, teu veneno? Funciona). Desejo que vás embora: que te percas a sós em torrentes de pensamentos que insistem a contragosto em permanecer na minha maldade, na minha cumplicidade criminosa Porque eu desejo me enrolar no teu pescoço e no teu corpo inteiro e fazer com que minha lembrança te perturbe, a imagem do meu corpo, meu riso politicamente incorreto. Que teu gozo torne-se incômodo que só se apazigue em mim. Desejo que te esqueças de ti na minha cama, no meu ânimo, na minha languidez, no meu sorriso temperado de lágrimas depois do crime e da cumplicidade. Desejo que o teu suor fique no meu lençol, e tua confusão me perturbe, que te percas em meu corpo, te sintas terrivelmente só, e partido, e voltes para procurar um algo qualquer que te faz falta e nem sabes porque. Desejo que minha falta te persiga, que abra à revelia tuas portas como sinais que te envio sem enviar. Desejo que fiques à vontade para ir embora e que tua vontade te impulsione a me enrolar em um arco dourado e brilhante em torno do teu dedo. Desejo que brinques comigo, eu, o teu brinquedo enquanto questionas: "serei eu o brinquedo?" Desejo que fiques enrolado como serpente em torno do meu corpo e inocules o teu veneno que paralisa em ti o meu desejo e meu impulso de seguir adiante. Desejo ser tua presa, tua predadora, brincar um eterno amor: caça predatória. Porque eu não desejo te prender... Desejo que tu te prendas em torno do meu corpo inteiro. E se acaso perceberes... E se acaso precisares no teu dia-a-dia do meu antídoto, do meu veneno, ou do que perdeste no meu olhar, na minha cama, na minha conversa boa ou na minha conversa à toa... E se acaso precisares no teu dia-a-dia dos meus ouvidos , do meu olhar malicioso e oblíquo, de todas as lágrimas que deixei secar pelos ares, pelos ventos da saudade, que te enroles num anel dourado em torno do meu dedo porque eu desejo me enrolar em torno do teu corpo inteiro, como uma serpente, tua serpente venenosa e graciosa. Desejo que nesta caça predatória não haja vítimas, só brinquedos e brincadeiras... Desejo que estejamos inteiros com a tranquilidade de compartilhar o dia-a-dia com ânsia de nos devorar por muito tempo.

#desejo #sexo #amor #brincadeiras

9 visualizações
ATENA

ATENA

Adquira já o seu livro de poesias!

APOLO

APOLO

Adquira já o seu livro de poesias!

HADES

HADES

Adquira já o seu livro de poesias!

AFRODISIA

AFRODISIA

Adquira já o seu livro de poesias!

Patrocine a poetisa. Doe um cafezinho. Grata!

Siga-me nas redes sociais.

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram