Eterno


Eterno é o amor petrificado, congelado, looping do instante, invulnerável à usura do tempo. Eterno congelamento na loucura: permanência do acontecido e do não acontecido. As mesmas cenas As mesmas imagens na memória E milhares de contínuos, milhares de desfechos fictícios impedindo que alma acompanhe o corpo no tempo. Diálogos nunca iniciados, criados e recriados milhares de vezes com as sombras, na parede. O não realizado se realiza quando se eterniza congelado. Eterno é o amor que não desgasta ou envelhece, enquanto, no espelho, a imagem do tempo que passa não corresponde ao eterno e imutável: rapto de vida, instante eternizado, maldição que congelou em cansaço. Tanto é lembrado o que não foi vivido, quanto revivido infinitos arrebatamentos, tão intenso é o primeiro, que a vida, e o calor, e todo o calor da vida acaba por se esvair. É estar parada no tempo, naquele instante de tempo eterno. Eterno fim que terminou sem mim como um desaparecido, que não se sabe estar morto ou vivo, ora pranteado, ora esquecido, sempre esperado -espera sem escolha em contrário - instante suspenso de tempo perdido à espera de vida ou de enterro. Eterno é instante, é queimadura fria cuja ardência não cessa. Eterno é o peso nas costas o corpo cansado, a espera sem fim. Eterna é a dor indizível, a lágrima que desidrata, o corpo que morre, o pensamento que finda, os olhos de morte. Eterno é maldição, é inferno. Quisera que amores eternos embalsamados e pranteados fossem, e mortos, permitissem a vida. Amor bom é amor vivo: sujeito à ação corrosiva e expansiva do tempo. Amor com rugas, de tentativas feitas e malfeitas, de arestas gastas, de erros e acertos. de aprendizado. Amor bom é amor vivo: que amadurece ou morre. Eterno é instante fixo, enregelado que não se concretiza nem termina. Recolhido a um arquivo morto, o eterno ressurge, sempre que se baixa a guarda, que se relaxa a vigilância, e cada vez que vem à superfície, usa seu recalcado poder para nos fazer morrer um pouco. Amor eterno, instante maldito perpétuo, para todo aquele que é vivo e sujeito as areias do tempo, o eterno fixo é inferno. Há amores que prefiro mortos (porque um dia estiveram vivos) do que eternos (invencíveis sequestradores da vida) . *****

#amor #eterno #eternidade #inferno #ilusão #sofrimento #idealização

8 visualizações
ATENA

ATENA

Adquira já o seu livro de poesias!

APOLO

APOLO

Adquira já o seu livro de poesias!

HADES

HADES

Adquira já o seu livro de poesias!

AFRODISIA

AFRODISIA

Adquira já o seu livro de poesias!

Patrocine a poetisa. Doe um cafezinho. Grata!

Siga-me nas redes sociais.

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram